Personal tools
You are here: Home Noticias 2009 04 02 Cultivo de urucum e açafrão é incentivado no Maciço de Baturité
Document Actions

Cultivo de urucum e açafrão é incentivado no Maciço de Baturité

by xiru last modified 2009-04-07 23:05


Ceará

Agricultura Orgânica

Especiarias

Na região serrana, próxima a Fortaleza, é desenvolvido projeto para ampliar a produção de corantes naturais

Ana Lúcia Machado


O Ceará, mais precisamente o Maciço de Baturité, região serrana a 120 quilômetros de Fortaleza, começa a se preparar para ser um centro produtor de duas especiarias valorizadas tanto na culinária quanto na indústria: o urucum e o açafrão.

Um projeto do Sebrae no Ceará, em parceria com a Universidade Federal do Ceará, a Embrapa, o Senar, a Federação da Agriculutra e Pecuária, o Governo do Estado, a Empresa de Assistência Técnica e Extensaõ do Ceará e as prefeituras da região, está atento para a importância econômica das duas culturas.

Municípios como Mulungu, Palmácia, Aratuba, Pacoti, Baturité, Capistrano, Redenção e Aracoiaba, que já produzem ou pensavam em investir na produção de urucum, estão se organizando para realizar ações conjuntas com foco, também, no cultivo do açafrão, o que pode transformar a região num celeiro de corantes naturais.

No caso do urucum, que tem o nome científico de Bixa orellana L, a meta do projeto é ampliar de 271 hectares para 670 hectares a área plantada, o que vai fazer a produção anual saltar de 185 toneladas para 837,5 toneladas, elevando a receita líquida de R$ 1.625,00 para R$ 2.165,00 por hectare.

O corante do urucum é importante para a indústria alimentícia porque dá cor à manteiga, à margarina, à maionese, aos molhos, à mostarda, às salsichas, à sopa, aos sucos, aos sorvetes, aos produtos de panificação, ao macarrão e ao queijo. Também é usado como pigmento nas indústrias de medicamentos e cosméticos, além de colorir tecidos na indústria têxtil.

No Ceará, em 2005, a área plantada foi de 341 hectares e sua produção chegou a 215 toneladas/ano. Desse total, 271 hectares foram plantados na região do Maciço de Baturité, o que rendeu R$ 672.000,00. A cultura é explorada na região por centenas de pequenos produtores da agricultura familiar, que plantam, em média, de meio a dois hectares e comercializam a produção com atravessadores que a repassa para as indústrias processadoras ou fabricam artesanalmente o coloral, condimento bastante utilizado na culinária do Estado.

O projeto formatado pelo Sebrae no Ceará objetiva elevar a renda e melhorar a vida dos produtores envolvidos na cultura, ao mesmo tempo em que incentiva o cultivo do açafrão. O açafrão, que tem o nome científico de Crocus sativus, tem sabor intenso e forte, aparece principalmente na culinária árabe, do Mediterrâneo e na cozinha asiática. A sua função mais comum é dar a cor amarela ao arroz, combinando muito bem com peixe e marisco, sendo ingrediente chave da paella espanhola.

Tanto o açafrão quanto o urucum passaram a ter importância relevante por três motivos: a possibilidade de inclusão social, questões ambientais e de saúde, por serem corantes naturais e econômicos devido à demanda tanto interna quanto externa por ingredientes politicamente corretos.

Para viabilizar o projeto dos corantes naturais, o escritório do Sebrae no Ceará em Baturité realizou uma reunião com os secretários de agricultura dos municípios envolvidos, procurando sensibilizá-los para a importância estratégica das duas culturas. Segundo o articulador regional do Sebrae/CE, Everaldo Menezes, "a idéia é procurar estimular a organização dos produtores, melhorar as técnicas de cultivo e os aspectos gerenciais da exploração, além de desenvolver e aprimorar as agroindústrias, através da prospecção de mercado consumidor interno e externo para os produtos derivados dos cultivos", ressalta.

Serviço:
Sebrae/CE - (85) 3255-6600


8300045

2009-04-02 14:00

2009-04-02 15:00

http://www.interjornal.com.br/fotos/8300045m.jpg

Divulgação

Corante do urucum é utilizado na indústria alimentícia para dar cor a alimentos





4

Powered by Plone CMS, the Open Source Content Management System

This site conforms to the following standards: